10 livros dos anos 70 e 80 que encantam as crianças até hoje!

Você se lembra dos livros infantis e juvenis, dos anos 70 e 80, que fizeram sucesso? É emocionante apresentar um livro novo para uma criança e ver seu encantamento e envolvimento com a história. Mas o que dizer quando essa história fez parte da sua infância e tocou várias gerações? A equipe do Clube Quindim separou dez clássicos da literatura infantil e juvenil que com certeza vão conquistar seus filhos também!

 

A BOLSA AMARELA (Lygia Bojunga)

O que fazer com um desejo que é difícil de entender? Raquel tem três desses desejos: a vontade de crescer, de ser garoto e de ser uma escritora. Como não sabe lidar com tudo isso, entra em conflito consigo e com a sua família, escondendo sua fantasia numa bolsa amarela. Enquanto tenta entender seus anseios e lida com desafios do mundo real, ela se descobre como pessoa.

A bolsa amarela foi um livro escolhido pelos curadores do Clube Quindim. É o livro mais conhecido de Lygia Bojunga, a primeira escritora da América Latina a ganhar os prêmios Hans Christian Andersen (considerado o Nobel da Literatura Infantil e Juvenil) e o ALMA – Memorial Astrid Lindgren (um dos maiores reconhecimentos internacionais). Conheça mais sobre a autora acessando o site da Fundação Casa Lygia Bojunga.

 

A BRUXINHA ATRAPALHADA (Eva Furnari)

A premiada autora Eva Furnari criou uma personagem para lá de carismática que habita outras histórias e peças de teatro. Essa obra foi considerada o melhor livro ilustrado para crianças pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil em 1982.  No livro, a bruxinha aparece em histórias sequenciais cheias de humor – e com muito espaço para que a criança crie diálogos com sua imaginação.

Saiba mais sobre a Bruxinha atrapalhada e outras obras de Eva Furnari acessando o site da autora.

 

 

A CURIOSIDADE PREMIADA (Fernanda Lopes de Almeida)

O encantamento diante do mundo e o desejo por descobrir como tudo funciona são traços característicos da infância, mas Glorinha é um caso à parte! A garota enche todos à sua volta com perguntas, deixando seus pais, familiares, vizinhos e até a professora loucos. Mas será que curiosidade demais faz mal? Com delicadeza e sensibilidade, as páginas deste livro nos mostram que é fazendo perguntas que reciclamos a admiração pelo mundo e pela vida.

Os leitores do Quindim já receberam esse clássico . Os livros da autora Fernanda Lopes de Almeida fizeram parte da renovação da literatura infantil brasileira nos anos 70. Além disso, traziam uma interação entre ilustração e texto inédita até então. Confira esta entrevista da autora.

 

A DROGA DA OBEDIÊNCIA (Pedro Bandeira)

Best-seller entre os livros de mistério para jovens no Brasil, esta obra tem como protagonista o grupo “Os Karas”. São cinco jovens que investigam e ajudam a desvendar crimes, e no meio-tempo lidam com seus conflitos da adolescência.

Nesta primeira aventura do grupo, eles se veem diante do desaparecimento de alunos de vários colégios de São Paulo. Os personagens ainda aparecem nos livros Pântano de sangueAnjo da morteA droga do amor e A droga de americana.

Seu autor, Pedro Bandeira, vendeu mais de 20 milhões de exemplares de seus livros, que com sutileza discutem problemas sociais e questões como o consumo de drogas na juventude. Veja aqui uma entrevista com o autor.

 

O GÊNIO DO CRIME (João Carlos Marinho Silva)

Que criança resiste a uma boa história de mistério e aventura? A prova é este sucesso editorial que tem 40 anos e se tornou uma das referências da literatura nacional. O livro apresenta a primeira aventura da “turma do gordo”: uma investigação de um grupo de crianças, depois que uma fábrica clandestina começa a produzir figurinhas raras, desfalcando o negócio do bondoso Seu Tomé.

Para saber mais sobre como o mistério e o suspense fascinam as crianças em todas as gerações leia o artigo Por que o suspense e o mistério fascinam os jovens leitores?

 

Confira o autor João Carlos Marinho falando sobre o sucesso do livro O Gênio do Crime.

 

LÚCIA JÁ-VOU-INDO (Maria Heloísa Penteado)

Lúcia é uma lesma supersimpática, mas tem um probleminha: faz tudo devagar, especialmente se deslocar de um lugar para o outro. Quando recebe o convite para uma festa dançante da libélula Chispa-Foguinho, se esforça para se arrumar e chegar antes da hora. Mas quem disse que consegue? Até que uma grande ideia aparece!

Os pequenos vão adorar acompanhar as aventuras de Lúcia Já-Vou-Indo e torcer para que ela, enfim, possa se divertir com os outros insetos!

 

MANECO CANECO CHAPÉU DE FUNIL (Luís Camargo)

Quando uma série de objetos e utensílios domésticos se cansam de ficar sem fazer nada, eles se unem e pouco a pouco criam o boneco Maneco Caneco. Tem escumadeira, concha, vassoura, pá e uma série de itens inusitados, daqueles que divertem os pequenos. Além disso, a história é contada de forma cumulativa, com repetições e em versos. O resultado? Uma leitura divertida que ainda exercita a memória e a musicalidade da criança.

Depois desta primeira aventura, Maneco aparece nos livros Panela de arroz, Bule de café e Folia de feijão, também do autor Luís Camargo. Nas outras obras, o simpático personagem descobre mais sobre o funcionamento da natureza e os mágicos preparos da cozinha. É puro encantamento para as crianças menores!

 

MARCELO, MARMELO, MARTELO E OUTRAS HISTÓRIAS (Ruth Rocha)

Marcelo é um dos personagens mais conhecidos e divertidos da escritora Ruth Rocha. Ele decide reinventar o nome das coisas, e assim: “cadeira” vira “sentador”, “leite” vira “suco de vaca” e um simples “bom dia” se torna “bom solário”. Além dessa história que ficou no coração de uma geração de leitores, o livro traz “Teresinha e Gabriela”, sobre duas amigas bem diferentes, e “O dono da bola”, que fala de um menino mimado que passa a se transformar pouco a pouco.

O livro já vendeu mais de 10 milhões de exemplares. Saiba mais sobre Ruth Rocha acessando o site da autora.

 

MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA (Ana Maria Machado)

Este livro doce e muito delicado se tornou uma das principais obras para refletir sobre a diversidade racial, a autoestima e o orgulho das crianças por serem negras. O livro apresenta uma linda garotinha negra que é alvo da admiração de um coelho bem branquinho. O coelho quer saber o que é preciso para ser pretinho como ela. Em sua descoberta, os personagens e os leitores entendem a importância de valorizar a sua ancestralidade. Para conhecer mais sobre a autora Ana Maria Machado, que também já ganhou o Prêmio Hans Christian Andersen, e suas obras, você pode acessar o seu site pessoal.

A importância sobre a diversidade racial para as crianças já foi tema do artigo Podemos falar de protagonismo negro nos livros infantis? aqui no Blog, escrito pela Doutora em Teoria da Literatura e pesquisadora na temática, Eliane Debus.

 

O MENINO MALUQUINHO (Ziraldo)

Com o olho maior que a barriga, fogo no rabo, vento nos pés e macaquinhos no sótão, o Menino Maluquinho é muito especial. No fundo, é um pouquinho como todos os meninos e meninas do mundo! Este livro criativo, cheio de referências e ilustrações divertidas, marcou época. Uma obra que apresenta um jeito tão sensível de retratar as travessuras e a ingenuidade da infância. As travessuras desse menino já ganharam as telas do cinema. Veja a matéria no blog do Quindim

Conheça as muitas histórias do Menino Maluquinho criado por um dos artistas mais reconhecido no Brasil e no mundo clicando no site do Ziraldo, que também é curador do Clube Quindim.

 

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *