Os livros de janeiro são bárbaros!

Mês de férias também é mês de boas leituras! Os curadores do Clube de Leitura Quindim selecionaram oito livros maravilhosos para a família inteira colocar os pés para cima e se acomodar confortavelmente na cama, no sofá, na rede, na esteira de praia ou na grama.

 

Pré-leitores

Jeremias desenha um monstro

Autor: Peter McCarty

Editora: Globinho

O autor Peter McCarty trabalha a possibilidade de a crianca, por meio do desenho, representar o seu monstro. O monstro é uma forma de caracterização dos medos. A melhor maneira de se entender o medo e se livrar dele é falando sobre o assunto.  Esse é um maravilhoso livro para espantar os medos e se divertir!

 

Quando a família sai de férias

Autora: Naja Celija

Editora: Pulo do Gato

Janeiro é epoca de a família sair de férias e viajar. Mas o que acontece quando a casa fica vazia? As fotografias que estavam aprisionadas no porta-retrato se libertam e tudo vira uma festa. Este é um livro de imagens que brinca com as cores vibrantes dos objetos da casa, contrastando com as fotografias em preto e branco. Uma grande brincadeira entre o real e o imaginário. Uma história que estimula a imaginação dos leitores de todas as idades.

 

Leitores iniciantes

 

Bárbaro

Autor: Renato Moriconi

Editora: Companhia das Letrinhas

O autor transforma essa história numa verdadeira brincadeira visual em que o olhar se desloca na folha como o movimento de um carrossel. As imagens e a paleta de cores trazem o universo lúdico e o desafio de imaginar as conquistas deste cavaleiro solitário. O formato comprido e o enquadramento singular desafiam a criatividade do leitor. Um livro bárbaro sobre a liberdade da imaginação.

Bárbaro ganhou o prêmio da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – Prêmio FNLIJ de Melhor Livro de Imagem para Crianças – 2014

 

Por que os gatos não usam chapéu

Escritora: Victoria Pérez Escrivá

Ilustradora: Ester García

Tradutora: Thais Albieri

Editora: Livros da Matriz

Você já viu um gato de chapéu? A escritora e a ilustradora associam atitudes humanas ao gato para mostrar que, desde cedo, as crianças precisam experimentar diferentes chapéus para ir conhecendo um pouco mais do “mundo adulto”. Um texto filosófico que questiona a cada página as diferentes fases do “se tornar adulto”. Esta é uma bela história para aprender através da esperteza dos gatos.

 

Leitor autônomo

Bojabi, a árvore mágica

Escritora: Dianne Hofmeyr

Ilustrador: Piet Grobler

Tradutora: Carolina Maluf

Editora: Biruta

Para que todos pudessem comer dos frutos da árvore mágica era necessário que um dos animais perguntasse ao leão, rei da selva, qual era o nome dessa árvore. O ilustrador Piet Grobel, além de nos entregar, em suas ilustrações, o cenário da savana africana, brinca com as expressões dos animais. Um jogo para o leitor perceber que cada personagem tem seus próprios costumes e sua personalidade.

 

De Morte!

Autora: Angela Lago

Editora: RHJ

A grande artista Angela Lago reconta esse conto folclórico, considerado meio pagão, meio cristão. Uma história que já ganhou diferentes versões sobre a tentativa do homem de enganar a morte e entrar no céu. Um conto divertidíssimo que aguça o imaginário independentemente de religiões e crenças.

De Morte! Ganhou, em 1993, o Prêmio FNLIJ de Melhor Livro para Criança – Hors Concours e Prêmio Jabuti de Melhor Produção Editorial Infantil e/ou Juvenil.

 

Leitor fluente

Alice

Escritor: Lewis Carroll

Ilustrador: John Tenniel

Tradutor: Martoin Gardner

Editora: Zahar

Neste clássico da literatura para crianças, escrito há mais de 150 anos, encontramos as duas aventuras da personagem Alice: Alice no País das Maravilhas e Através do espelho e o que Alice encontrou por lá. O que será que acontece quando a menina Alice precisa enfrentar os medos de ser pequena e as responsabilidades de ser grande? Ou quais serão as estratégias que Alice precisa usar para vencer o jogo de xadrez? Como no sonho, esse romance nonsense faz com que o leitor mergulhe de cabeça pela toca de um coelho ou atravesse um espelho na busca do auto-conhecimento. O livro traz as ilustrações da primeira edição dessa história que foi feita por John Tenniel.

 

Mais com mais dá menos

Escritor: Bartolomeu Campos de Queirós

Ilustradores: Marcelo Drummond e Marconi Drummond

Editora: RHJ

 

Ao fazermos cálculos matemáticos, utilizamos algumas regras, as regras de sinais, por exemplo, onde mais com mais dá mais. Mas nessa história parece que a regra de adição dá outro resultado. Com seu escrever poético Bartolomeu relata as possibilidades e os diferentes caminhos que um menino poderia seguir se não fosse avarento. O texto ganhou uma paginação arrojada e os irmãos Drummond dialogam com a arte gráfica contemporânea, traduzindo a angústia vivida pela personagem principal à busca de conquistas materiais, em detrenimento de outros valores importantes para a vida.

 

Mês de janeiro cheio de grandes aventuras literárias no Clube de Leitura Quindim!

 

SalvarSalvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *