Livros infantis com protagonistas negros: por um Brasil mais tolerante

O Clube Quindim reafirma seu compromisso com a diversidade na literatura infantil                  

Todos podemos contribuir para a formação de novos leitores. Consciente deste papel e da importância de entregar a diversidade da literatura de qualidade, os curadores do Clube de Leitura Quindim selecionaram para todos os assinantes, de 0 a 12 anos, no mês da Consciência Negra, livros infantis que trazem protagonistas negras/negros e o universo da cultura afro-brasileira.

O Clube Quindim acredita que na diversidade literária pode-se encontrar o poder transformador da literatura e seu potencial de desenvolver nos leitores o autoconhecimento e a empatia. O Brasil é um país múltiplo, e a literatura, um instrumento de acesso às diferentes culturas que se misturam e constroem nossa história.

Todos os meses, os leitores do Clube Quindim recebem livros para constituir a sua biblioteca. O Clube já entregou livros com temática indígena e, no mês de março, fez uma homenagem às mulheres entregando livros de autoras brasileiras com personagens femininos. Essa biblioteca da diversidade é fundamental para que as crianças sejam mais empáticas e tolerantes com às diferenças.

Juntos aos livros, o Quindim enviou material aos pais dos seus leitores que fala sobre questões afro-brasileiras e convidou sua curadora Eliane Debus, doutora em Teoria da Literatura pela PUC/RS e professora no Programa de Pós-Graduação em Educação, na UFSC, pesquisadora em cultura africana e afro-brasileira, para escrever sobre o assunto com o artigo intitulado, Podemos falar de protagonismo negro nos livros para infância?, que você também encontra aqui no Blog.

Os livros escolhidos pelos curadores do Quindim foram: Cadê?, de Graça Lima, editora Nova Fronteira; O menino que comia lagartos, de Mercê Lopes, Edições SM; Cadernos de rimas do João, de Lázaro Ramos e Maurício Negro, editora Pallas; Histórias da Preta, de Heloísa Pires Lima e Laurabeatriz, editora Companhia das Letras, e Quando me descobri negra, de Bianca Santana e Mateu Velasco, editora SESI-SP.

 

Este é um convite do Clube de Leitura Quindim aos seus leitores pela construção de um Brasil que respeite a todos. Um Brasil mais tolerante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *