Livros infantis que propõem reflexões profundas em família

A arte é uma grande aliada para desenvolver a inteligência emocional das crianças, e oferecer literatura infantil de qualidade em seu lar pode despertar conversas sobre temas que não surgiriam se não fosse por aquela leitura.  A seleção do Clube de Leitura Quindim de maio trouxe histórias assim. Nossos assinantes receberam livros com reflexões sobre diversidade, busca pela identidade própria e autoestima, sobre as máscaras que vestimos para nos proteger e sobre os momentos bonitos em que conseguimos nos desvencilhar delas. Obras que falam sobre a dor da solidão da criança e o processo de diferenciar o seu mundo do mundo do outro, o medo da perda e os mecanismos que criamos para fugir dele. Falamos sobre alimentação seletiva e sobre a diferença entre o que nossa imaginação desenha e o que a realidade mostra.

Com curadoria única, que conta com nomes como Ziraldo e Marina Colasanti, o Clube Quindim busca em tudo o que há publicado no Brasil apenas obras relevantes, que sejam interessantes para toda a família. Além do cuidado na escolha, todos os livros são acompanhados de um Mapa de Leitura destinado aos adultos, para ajudar na leitura compartilhada, além de enviarmos no primeiro mês o Diário do Leitor, para auxiliar os pais no acompanhamento do desenvolvimento dos pequenos.

Confira os livros de maio:

Pré-leitor (0 a 2 anos)

Elmer, o elefante xadrez

elmer o elefante xadrez david mckee wmf
Autor: David McKee
Editora: WMF

Elmer é um elefante diferente de todos os outros: ele é xadrez. Um dia, cansado de ser diferente, ele resolve se pintar de cinza, para ficar igual a todos os outros. É uma obra que fala sobre a sensação de ser diferente e a busca por pertencimento. E o modo como aborda esse tema permite diferentes leituras sobre o que é ser diferente, podendo tratar tanto sobre uma diferença clara, como uma deficiência, quanto sobre a diferença como uma percepção de si mesmo na busca pelo pertencimento. Uma busca que pode nos levar por diferentes caminhos, da imitação ao outro para se sentir parte daquele grupo à simples (e difícil) compreensão e estima de si, com as características e potencialidades que o fazem único.

Anton sabe fazer mágica

Autor: Ole Könnecke
Editora: WMF Martins Fontes

Anton tem um chapéu de mágico e acha que por isso consegue fazer os seres vivos sumirem e reaparecerem. Seu amigo Lucas não acredita. Até ver com os próprios olhos. Nesta obra, o texto apresenta a perspectiva do personagem Anton, e a imagem nos mostra o que acontece enquanto ele está de olhos fechados: a realidade. É do contraste das informações entre texto e imagem que surge a ironia, revelando com certa beleza o olhar ingênuo do personagem, um olhar bastante comum na infância, que os adultos também carregam em suas memórias.

Leitor iniciante (3 a 5 anos)

O grande pato

o grande pato mariah guidella erika astronauta
Escritora: Mariah Guidella
Ilustrações: Erika Astronauta
Editora: Coletivo Jacaré na Porta

Esta obra conta a história do pato mais pato de todos os patos da história, o Parrulo Pato. Ele sabe direitinho como um pato deve ser. Até conhecer Pedro Patela, que não precisava ser o pato mais pato de todos. A sociedade apresenta desde cedo muitos modelos de perfis e de comportamento, ditando regras sobre o que é bom e o que é ruim. E muitas vezes a pessoa se esforça muito para se adaptar a esses modelos, perdendo um pouco de quem ela realmente é. Esse esforço pode se tornar tão grande que a pessoa não sabe mais quem ela é – um desconhecimento profundo sobre si mesmo que pode trazer efeitos dolorosos, como uma tristeza ou revolta sem aparente explicação. O Clube Quindim foi encontrar esta obra em um pequeno coletivo chamado Jacaré na Porta. Trata-se de um grupo de artistas que se uniram para juntos criarem projetos diferentes, em uma relação horizontal, em que todos pudessem criticar e contribuir para o trabalho alheio. A publicação foi financiada pelo Catarse, plataforma de financiamento coletivo. Não se trata portanto de uma obra que se encontra em livrarias, mas um projeto experimental muito único e especial, que chega em primeira mão aos assinantes do Clube Quindim. 

Hoje não quero banana

hoje não quero banana sylviane donnio dorothée de monfreid monica stahel wmf
Escritora: Sylviane Donnio
Ilustrações: Dorothée de Monfreid
Editora: WMF Martins Fontes

Aquiles sempre come banana no café da manhã. Mas um dia ele enjoa e pede para mudar o cardápio: ele quer comer uma criança. Os pais tentam dissuadi-lo da ideia, oferecem salsicha e até bolo de chocolate. Mas Aquiles só quer criança… A grande maioria dos pais vive em algum momento dificuldade na hora de alimentar a criança. Esta obra trata desse tema com muito humor, ao apresentar um filhote de crocodilo que desenvolve alimentação seletiva e deseja comer apenas criança. A fome, porém, é mais forte, assim como o desejo de crescer e se tornar grande e forte para… conseguir comer criança.

Leitor autônomo (6 a 8 anos)

Alberta e o pássaro azul

Escritora: Cristina Mutarelli
Ilustrações: Anita Prades
Editora: Terceiro Nome

Esta obra conta a história de Alberta, uma passarinha cheia de histórias grandiosas, que adora conversar e brincar – desde que as brincadeiras sigam as suas regras, e ela sempre ganhe os jogos. Alberta é mais ou menos bonita, é alegre, inteligente e feliz. Procura ser simpática com todos, e não entende porque não tem amigos. É por meio da fábula que esta obra fala sobre a dor da solidão de uma criança com dificuldade de enxergar o outro e oferecer espaço para ele. Há ainda uma brincadeira na obra na relação entre palavra e imagem: o texto conta a história da passarinha Alberta, e a parte de cima da imagem acompanha este texto. Porém, a ilustradora Anita Prades apresenta uma segunda ilustração na parte de baixo do livro, em que aparece uma menina que aparentemente vive os mesmos dramas da passarinha. Ou seria essa menina Alberta? A analogia dessa fábula com a menina está presente em toda a obra.

Senhor cem cabeças

senho cem cabeças ghislaine herbera sesi-sp
Autora: Ghislaine Herbéra
Editora: SESI-SP

Nesta obra, o personagem precisa escolher a cabeça que irá usar em um encontro muito importante. Conforme experimenta cada cabeça, emoções são despertadas… até ele perder a cabeça. Quando nos preparamos para algum evento, vestimos roupas adequadas àquele momento. E também nos preparamos emocionalmente para ele. Por vezes, o evento é tão importante para nós que nos desperta muitos sentimentos. As máscaras ajudam a nos proteger, mas podem fazer que percamos a espontaneidade que favorece a criação e o fortalecimento de conexão e intimidade.

Leitor fluente (9 a 12 anos)

Um fio de esperança

um fio de esperança marjolijn hof wmf
Autora: Marjolijn Hof
Editora: WMF Martins Fontes

Este livro conta a história de Lili, cujo pai saiu em missão humanitária para um país em guerra. Fala sobre o medo de perder quem se ama, sobre a ansiedade que esse medo traz, e as dores que ele causa em nós. Um fio de esperança fala sobre esse tema bastante sensível: a iminência da morte de alguém que amamos. Abordar temas densos na literatura infantil causa em alguns adultos um pouco de medo, de receio em expor a criança a alguma dor. Sabemos, porém, se acessarmos as nossas memórias da infância, que ela não está tão protegida assim, e que vivenciamos desde os primeiros anos sentimentos dolorosos como o medo e a angústia. A literatura permite vivenciar esses sentimentos por meio das histórias, oferecendo ferramentas para que possamos elaborar como lidar melhor com esses sentimentos em nosso cotidiano.

Desenhos invisíveis

desenhos invisiveis troche lote 42
Autor: Troche
Editora: Lote 42

Nesta obra, as imagens falam por si, despertando no leitor os mais diferentes sentimentos e sensações enquanto nos arrancam reflexões e nos revelam o que há de mais humano em nós. Apesar de livros de imagem serem normalmente associados a livros para crianças pequenas, que ainda não aprenderam a ler, esta obra não foi sequer criada para crianças. E, mesmo que fosse, muitos desses livros são “para todas as idades”, obras que sensibilizam leitores em suas diferentes camadas. Ler imagens demanda muitas competências, que nem todos os adultos desenvolveram – muitos inclusive têm dificuldade em ler imagens sequenciais. Por isso, esta obra é para todos lerem, criança, adulto, jovem, velho. Com certeza vocês sairão dela diferente de como entraram.


Saiba Como ler mais: 10 dicas para ampliar a leitura da família e aproveite momentos de qualidade com o apoio do Clube Quindim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *