Assinantes do Clube Quindim contam como a leitura mudou sua rotina

A leitura fortalece vínculos, proporciona experiências incríveis e é capaz de encantar e inspirar crianças e adultos. É porque acreditamos em tudo isso que trabalhamos para levar literatura infantil de qualidade aos pequenos de todo o Brasil. E nossa maior satisfação é perceber que os assinantes do Clube Quindim falam com prazer da experiência de receber os livros em casa, e notam como a leitura tem mudado seu cotidiano. Dá uma olhada:

 

Jéssica Ferreira, mãe do Murilo, de 1 ano

“Acredito muito no incentivo à leitura, e creio que, quando ele se inicia desde o nascimento, ou antes dele, os resultados são mais satisfatórios. Durante a gestação, sempre lia para o meu bebê, e busco manter essa convivência prazerosa com os livros desde então.

Acho muito interessante o diário que o Clube Quindim proporciona, pois permite uma intimidade com o livro. Além de ler, preciso entender para posteriormente realizar o registro. Acho incrível essa possibilidade de ressignificar a leitura.

Murilo, meu filho, tem acesso livre aos livros, deixo todos ao seu alcance e, sempre que deseja, pega para ler, realizando sua própria leitura, ou pede para algum adulto ler.

Sempre que os livros chegam, abrimos juntos, canto uma música rotineira de leitura e conto a história. Depois deixo que ele folheie, interaja com o livro. Digo que o livro é amigo e que é dele, escrevo o nome dele na capa e colocamos junto aos outros. Geralmente isso acontece à noite. Após dois ou três dias, preenchemos juntos o diário juntos. Ah, sou professora, e aproveito as ideias para fazer com meus alunos.”

Marcela Bauer, mãe da Violeta, de 2 anos e meio, e do Jorge, de 8 meses

“Eu adoro ler e queria que minha filha também gostasse. Desde alguns meses de vida, ela já tem contato com livros. Antes ela mexia, mordia, depois passou a querer ouvir as histórias, e de forma repetida. Hoje tem livros que é ela que conta a história. Todo mês chega o livro do Clube Quindim em casa e a Vivi adora! Acaba sendo uma rotina, um ritual supergostoso. Gosto que apareça um livro para ela porque, quando vou comprar, sempre fico perdida com tantas opções. A curadoria é legal, os livros conversam com a época do ano e chegam alguns que são clássicos da literatura infantil. Eles ainda vêm com um encarte contando um pouco da obra e isso ajuda na leitura e na relação entre a gente e o livro.”

Raquel Pulita Andrade Silva, mãe da Maria Flor, de 2 anos

“Os livros ficam sempre na altura da minha filha, então ela escolhe, já lembra das histórias e diariamente temos um momento de leitura. Ela tem crescido em meio aos livros, porque nós também gostamos muito de ler. Sempre que somos avisados pela portaria do prédio sobre alguma encomenda, ela pergunta: é o presente para mim? Aí vamos buscar, ela reconhece o papel e sabe que pertence a ela. Quando voltamos, abrimos juntas o livro e iniciamos de imediato a leitura. E depois ela mostra para todas as pessoas que passam por nossa casa nos dias seguintes. Se diverte.”

Veridiana Negrini, mãe da Clarice, de 5 anos

“O que mais gosto é ver o encantamento da minha filha ao receber os livros e vê-la se encantar com as historias dos livros que recebemos em casa. Todos que recebemos têm uma ótima curadoria, e o folheto com dicas sobre o livro e as formas de abordagem com as crianças é sempre muito bem construído, facilitando a condução das diversas leituras que fazemos. Além do diário do leitor, que é muito interessante. Fora que receber bons livros em casa, sem precisar sair, com uma curadoria toda especial é muito bom!
Confesso que o Quindim nos permitiu ler mais, e ler mais juntas. Já tinha o habito de ler com minha filha, mas agora revisitamos os livros e fazemos várias leituras da mesma obra, brincando com as dicas que o Quindim traz. A leitura passa a ser uma brincadeira, um momento de carinho e trocas entre nós duas.
Clarice, minha filha, fica ansiosa todo mês esperando seu presente pelo correio, que sabe que o tio Volnei selecionou com carinho, daí tem um toque a mais de amor nesta espera. Quando os livros chegam, ela que tem que abrir, e faz questão de tirarmos fotos para registrar o momento. Em seguida, já quer folhear os livros para saber as histórias, e escolhe qual será o primeiro que iremos ler naquela noite.”

SalvarSalvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *